Inclusão e Educação Especial

Inclução/Educação especial
Alta resolução +
De R$ 57,00 por R$ 40,00

Educação especial

diálogo e pluralidade

Claudio Roberto Baptista et al. (Orgs.)
ISBN: 978-85-7706-032-0
ed. 304 p.
Este é um irrecusável convite a gestores e educadores para sentarem na roda das discussões que aqui se travam em torno da Educação Especial e de processos inclusivos. Pode-se afirmar que o livro contempla o que há de mais atual em termos de estudos sobre a inclusão. Interessante ver como se compõem as discussões, uma vez que cada tema é debatido por vários especialistas, ganhando contornos diferenciados e cada vez mais nítidos no decorrer da leitura. Escolha uma cadeira e faça parte desse debate!
  • Sumário
    Apresentação
    Políticas inclusivas na educação: do global ao local

    Rosalba Maria Cardoso Garcia (UFCS)

    Sobre mecanismos de (re)produção de sentidos das políticas educacionais
    Rosângela Gavioli Prieto (USP)

    As contribuições da abordagem histórico-cultural para a pesquisa em educação especial
    Maria Cecília Rafael de Góes (UNIMEP)

    As contribuições da abordagem histórico-cultural para a pesquisa sobre os processos de
    aprendizagem da pessoa com deficiência mental

    Alexandra Ayach Anache (UFMS)

    As contribuições da abordagem histórico-cultural para a pesquisa sobre a inclusão da criança com deficiência no contexto da escola de educação infantil
    Sonia Lopes Victor (UFES)

    “Batesonianas”: uma aventura entre a epistemologia e a educação
    Claudio Roberto Baptista (UFRGS)

    O sujeito da educação especial: reflexões provocadas pela perspectiva sistêmica
    Ana Dorziat (UFPB)

    Reflexões sobre Bateson e educação
    Maria Cecília Carareto Ferreira (UFB)

    As teorizações de Pierre Bourdieu e suas implicações para a educação especial: uma análise preliminar
    José Geraldo Silveira Bueno (PUC/SP)

    Esboço de um breve diálogo: contribuições de
    Pierre Bourdieu nas pesquisas em educação especial

    Katia Regina Moreno Caiado (PUC/Camp)

    Educação especial e Pierre Bourdieu: algumas contribuições
    Mônica de Carvalho Magalhães Kassar (UFMS)

    O que nos impulsiona a pensar a pesquisa-ação
    colaborativo-crítica como possibilidade de instituição de práticas educacionais mais inclusivas?

    Denise Meyrelles de Jesus (UFES)

    Pesquisa-ação numa perspectiva inclusiva: reflexões e ações
    Lúcia de Araújo Ramos Martins (UFRN)

    Algumas reflexões sobre a pesquisa-ação e suas contribuições para a área de educação especial
    Maria Amélia Almeida (UFSCar)

    Pesquisa-ação nas pesquisas em educação especial: relato de uma experiência
    Maria Inês Naujorks (UFSM)

    Quem pergunta “precisa” saber
    Anna Maria Lunardi Padilha (UNIMEP)

    Comentários: Anna, eu também sou uma pergunta
    Hiran Pinel (UFES)

    Das indagações ao cotidiano da sala de aula:
    perspectivas de inclusão na universidade

    Laura Ceretta Moreira (UFPR)

    Dilemas da inclusão na educação básica frente
    às diretrizes para a formação em pedagogia

    Maria Aparecida Santos Corrêa Barreto (UFES)

    História, arte, educação: reflexões para
    a prática de arte na educação especial

    Lucia Reily (UNICAMP)

    Imaginação, processo criativo e educação especial
    Ivone Martins de Oliveira (UFES)

    História, arte, educação: a importância
    da arte na educação inclusiva

    Ivanilde Apoluceno de Oliveira (UEPA)

    Acessibilidade
    Leila Regina d’Oliveira de Paula Nunes (UERJ)
    Francisco de Paula Nunes Sobrinho (UERJ)

    Acessibilidade: um aporte na legislação para o aprofundamento do tema na área de educação
    Eduardo José Manzini (UNESP/Marília)

    Acessibilidade da pessoa com deficiência para a construção de uma escola inclusiva: o currículo e a interação
    Theresinha Guimarães Miranda (UFBA)
  • Trecho
    Apresentação
    Este livro pode ser considerado a continuidade de um debate sobre educação, educação especial e processos inclusivos. Debate que tem se organizado na forma de encontros sistemáticos de um grupo de pesquisadores responsáveis pela coordenação de grupos de estudos em diversas universidades brasileiras. Em 2006, publicamos "Pesquisa e educação especial: mapeando produções" pela Editora da Universidade Federal do Espírito Santo. Em 2007, "?Inclusão, práticas pedagógicas e trajetórias de pesquisa" pela Editora Mediação.
    Anualmente, temos nos reunido para um ciclo de estudos e discussões e procuramos divulgar os efeitos de nossas análises em um livro. Os objetivos do texto, portanto, são divulgar os efeitos desse debate, contribuindo com a tarefa de formar educadores e pesquisadores na área da educação; investigar as relações entre o avanço do conhecimento e as práticas pedagógicas que constituem um enorme desafio, quando concebemos a possibilidade de uma escola pautada em uma história que comporta regularidades e mudanças; contribuir na construção de alternativas pedagógicas que façam do conhecimento da educação especial um dos pontos de referência dos processos inclusivos na escola.
    Como compreender as políticas públicas de educação especial no Brasil? Quais as relações entre essas políticas e a prática pedagógica nas escolas? Em que medida o avanço do conhecimento e a difusão de princípios pautados na inclusão têm produzido efeitos no nosso modo de compreender os sujeitos que integram os processos de escolarização? Que perspectivas teóricas têm se anunciado como pontos de sustentação para a prática e para a pesquisa em educação? Como superar a superficialidade da defesa fácil de dinâmicas transdisciplinares e fazer do diálogo entre os diferentes campos de conhecimento um eixo organizador de nosso trabalho? Estas são questões que buscamos contemplar com estes textos que foram debatidos em um seminário de estudos - III Seminário Nacional de Pesquisa em Educação Especial: diálogo e pluralidade ? que ocorreu em São Paulo, em agosto de 2007, resultante da ação organizadora que congregou três programas de pós-graduação em educação de diferentes universidades - Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Universidade Federal do Espírito Santo e Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Além dessas instituições, outras 15 universidades brasileiras estiveram representadas por professores e estudantes que participaram de mesas temáticas que, no presente livro, compõem as diferentes partes. Essas mesas eram pautadas na dinâmica que previa um texto "disparador" do debate que será apresentado como texto inicial de cada uma das partes, seguido dos textos dos debatedores, os quais tiveram acesso prévio aos textos dos relatores para a elaboração de suas reflexões. A dinâmica proposta tinha como objetivo o aprofundamento das análises da produção desenvolvida pelos grupos de pesquisa. O resultado dessas reflexões é agora compartilhado com os leitores e esperamos que o texto possa ser a centelha de novos debates.
     
    Os organizadores

Sugestões de outros títulos:

carregando...